quinta-feira, janeiro 22, 2015

Mudança de morada


Após um longo tempo ausente do trabalho criativo em virtude do aCalopsia este ano volto, pelo menos com o prometido Minizine nº3.

Entretanto estou em mudanças para: http://sanktiocomix.wordpress.com.

Podem actualizar os marcadores.

sexta-feira, março 07, 2014

aCalopsia.com

Os projectos criativos tem estado um pouco parados devido a umas situações pessoais, e devido ao trabalho que tenho estado a desenvolver no  aCalopsia.

O aCalopsia, mudou-se do Blogspot para domínio próprio passando a utilizar o Wordpress com CMS, em principio. Até ao final do mês a actividade do aCalopsia deve normalizar.

Entretanto podem actualizar os marcadores:
url: www.acalopsia.com
feed: http://www.acalopsia.com/feed/


terça-feira, julho 02, 2013

À Espera do(s) Desenhista(s)

Ilustração de Àlvaro
O número 3 do MiniZine está ligeiramente atrasado, o guião já se encontra escrito falta agora o desenhista ilustrar a história. Existe um projecto de álbum que se encontra na mesma situação, falta o desenhista começar a ilustrar o guião. Entretanto existem um projecto de webcomic para o qual deveria começar a procurar desenhista mas está para o parado. Falta eu ganhar coragem para mais umas negas e para o tormento da espera para saber se o projecto avança depois de um desenhista o aceitar.

Existem mais umas coisas que estão meio começadas mas que preciso de terminar de escrever os guiões. O mais natural é que ainda volte a desenhar qualquer coisas, no meio deste ladainha da espera, existe a novidade de eu estar atrasado na entrega de um guião feito a pedido de um desenhista.

Ocasionalmente também convém mudar um pouco a história.

Em breve espero ter mais novidades.

sábado, abril 13, 2013

O Que Eles Dizem

Quase um mês depois do número dois do Minizine a maioria das reacções foram muito positivas. Mais de 5.000 impressões em um mês é um número simpático, em grande parte devido aos divulgadores que optaram por disponibilizar o ficheiro nos seus sites/blogs. Só não compreendo bem porque motivo é que o 2º país em que o Minizine tem mais leitores é a Colombia...

Um pequeno apanhado de algumas coisas que já se disseram sobre o Minizine:
"Sem ser perfeito, este MiniZine é surpreendente e demonstra uma evolução progressiva em termos narrativos e gráficos. É de elogiar a qualidade e a iniciativa, permitindo partilhar com públicos um jovem fervilhar criativo que enriquece o espaço cultural." - Artur Coelho in Intergalatic Robot
"Este segundo Minizine, que dá um salto qualitativo em relacção ao primeiro." - André Azevedo in BD no Sotão
"Grandes parabéns aos autores deste zine. Devorei este e estou curioso para saber o que por aí vem..." - Luís Sanchez  inBD no Sotão
"No geral o projecto tem pernas para andar e esperamos sinceramente que passem do mítico terceiro número pois é gente que tem ideias interessantes e estão acima de tudo a dar espaço ao que querem criar." in Sketchbook Portugal
"As propostas de leitura são interessantes e merecem a nossa atenção." Nuno Neves in Notas Bedéfilas

E para terminar alguns dos comentários efectuados no Leituras de BD:

"Dei uma olhada, ótimo trabalho!" - Guy Santos
"Caramba, estou impressionado com a qualidade! Não sou elitista nem nada, mas apesar de muito bem conservado, sou do tempo de que "zines" era sinônimo de algo amador, definitivamente esse não é o caso aqui." - Venerável Victor
"É muito bom ver trabalhos digitais de altíssimo nível e, principalmente, merecendo a devida divulgação.
Ao mesmo tempo que a web é o espaço livre para trabalhos digitais, a espessura desta nuvem muitas vezes atrapalha a visão do que realmente interessa." - Alex D'Ates
"Trabalhos assim sempre merecem destaque, parabéns pela matéria meu amigo." - João Roberto da Costa
"É sempre bom as pessoas irem mexendo, fazendo e publicando! É a única maneira de evoluir!" - Nuno Amado
As críticas ao trabalho que se realiza são sempre bem vindas nesta casa, sejam as críticas positivas ou negativas desde que sejam construtivas.  Agora devo confessar que mais do que um crítica muito bem escrita por um crítico, aquilo que me dá mais gosto ler é um um simples comentário positivo de um leitor que gosta daquilo que faço. 

quinta-feira, março 21, 2013

MiniZine Nº02 Online



Apesar de um pequeno atraso aqui está finalmente o segundo número do MiniZine, comentem e partilhem. A versão impressa ainda vai demorar umas semanitas, mas já o podem ler e fazer download.

quarta-feira, março 20, 2013

Flyers Minizine nº02

Eu divirto-me a fazer uns flyers, mas desta vez não tive o tempo ou a paciência para os ir divulgando atempadamente, tenho de melhorar um bocadinho no departamento de markting e publicidade.

domingo, dezembro 16, 2012

Um Problema de (Falta de) Acção

No primeiro número do MiniZine a história “As Grilhetas Invisíveis” é aquela que saí um pouco do registo auto-biográfico e de drama humano para entrar pelo caminho do fantástico, originalmente era para incluir também uma história de ficção científica ou acção, só que os artistas foram escolhendo as histórias mais pessoais pelo que essas histórias só irão surgir no segundo número do MiniZine.

Apesar de ter um predileção pela Ficção Científica e pelo fantástico encontrar artistas que partilhem esse interesse por aqui tem sido complicado.

A única história que publiquei na outra vida e que saía um pouco do registo de drama quotidiano foi o “Aconteceu” (ilustrado pelo Phermad), que era um policial. A única história de fantasia (More Than Dreams) foi ilustrada por um norte americano, para um projecto nos EUA que acabou por não acontecer tendo sido depois publicada na defunta Nextcomics. Nunca a cheguei a traduzir para publicar em português.

Cheguei a ter outras histórias dentro das temáticas da ficção científica e do fantástico, mas se já é difícil encontrar um desenhistas que esteja disponível para ilustrar um álbum, encontrar um para realizar BD's dentro daquelas duas temáticas é ainda mais complicado.

Tenho um gosto bastante eclético,gosto de material mais pessoal e intimista, do mesmo modo que gosto de material mais “comercial”, simples entretenimento. Pretendia mostrar esses dois lados no primeiro MiniZine, mas acabou por não ser possível. Eu podia ter ilustrado as histórias elas mereciam uma arte melhor do que aquela que eu posso providenciar, o que me levou a traduzir os guiões para inglês para procurar um desenhista no exterior. Acabei por encontrar e se tudo correr bem o segundo será muito mais “comercial” e fantástico.

quarta-feira, dezembro 05, 2012

MiniZine Vira E-Zine Gratuito


Gosto de um livro, revista ou fanzine enquanto objecto, contudo a internet possibilita alcançar um publico mais vasto que um edição de um fanzine com uma tiragem reduzida. Foi um um dos motivos que levou à existência do Bizarro como e-zine no inicio do século e porque o MiniZine fica agora disponível em formato digital.

Quer este número que foi publicado agora quer os números seguintes são constituídos por histórias curtas pelo que não faria muito sentido, nem seria muito prático estar a publicar num formato webcomic, como o fanzine é num formato pequeno optei por uma edição gratuita em PDF que pode ser lida online, ou feito o download. Para além disso também podem partilhar o zine em redes sociais ou nos vossos blogues.


A Edição digital é uma maneira de ultrapassar limitações que um fanzine de baixa tiragem, com distribuição limitada tem. É um método simples de chegar a um público mais vasto e dar a conhecer o trabalho realizado.

Leiam, comentem, partilhem. A edição do número dois deverá acontecer quase em simultâneo com a edição de papel.

quarta-feira, outubro 24, 2012

Declaração de intenções

Era inevitável, o bichinho estava cá dentro e precisava de sair. Depois de um exílio auto imposto, de algumas falsas partidas, alguns projectos começam a tomar forma sob o nome de Sanktio. Uma proto-editora que até se poderia de chamar de pseudo. Mais do que uma editora é um selo para abrigar diferentes projectos, uma maneira de os ir desenvolvendo explorando diferentes formatos e formas de publicação.
Não vale a pena gritar, ele não faz mal a ninguém! Só continua com o mesmo sentido crítico de sempre.
Estive afastado anos, mas parece que ainda ontem parti. A feira das vaidades prossegue alegremente por entre o descalabro total. Os autores são mais que os leitores. Existem editores, álbuns, revistas e quejandos. Uns professam orgulhosamente ser alternativos quando não existe mainstream, outros declaram-se comerciais, quando não vendem mais que umas centenas de exemplares (se tiverem sorte). As mudanças que se verificam, foi para pior, mas nada que não fosse expectável. O que desapareceu não surpreende e o que ficou ainda menos.